Vendas

Plano orçamental: veja como fazer um útil e eficiente

plano-orcamental-veja-como-fazer-um-util-e-eficiente.jpeg
Escrito por Lazaro Vergani

Grandes empresas sabem que ter um bom plano orçamental é relevante para manter os negócios em um nível saudável. Afinal, sem ele, as instituições só irão pensar no faturamento sem estipular nenhum objetivo final. Então, que tal tirarmos essa lição delas e acabar de vez com o medo de fazer um orçamento? 

Calcule os seus gastos básicos

Primeiramente, você precisa descrever todas as suas despesas mensais fixas – sejam elas pessoais ou não, mas sempre separando-as – como contas de luz, água e telefone, além da compra de materiais etc. Depois, pense nos gastos variáveis – novamente, pessoais ou não -, como o lanchinho de fim de tarde, a sobremesa pós almoço ou a manutenção de equipamentos. 

Para ter uma base na hora de escrever sobre as despesas variáveis, leve em consideração os seus três últimos meses observando faturas de cartão de crédito, débito etc caso não haja nada anotado. Com essas informações, você terá uma noção do que é gasto mensalmente e pode pensar que esse é o mínimo que precisa ser ganho. 

Crie metas dentro do plano orçamental

Feito isso, objetivos podem ser traçados para incrementar esse valor básico. Por exemplo, digamos que você tenha renegociado uma dívida de R$ 500. Então que tal somar mais R$ 100 por mês para que dentro de 5 meses o montante seja pago? Isso também serve para compras pessoais, como um tablet nesse valor etc. 

Essa é uma boa ideia, pois dessa maneira não será preciso recorrer a um empréstimo ou ao cheque especial na hora de pagar a dívida ou comprar algo novo. Além disso, você ficará mais motivado a seguir o seu plano orçamental caso exista alguma meta a ser cumprida. Mas lembre-se: seja realista! No início, não estipule metas muito ambiciosas, vá crescendo aos poucos!

Saiba o quanto você quer ganhar e como irá cobrar

Agora que você já sabe os valores mínimos, poderá pensar no seu “salário” almejado. Sendo assim, digamos que você precisa gastar R$ 800 com as despesas fixas, mais R$ 200 com uma determinada meta e quer ter um lucro líquido de R$ 1200. Logo, seu salário deverá ser de R$ 2000. 

Tendo esse valor descrito no plano orçamental, reflita: a maioria dos seus trabalhos serão cobrados por hora ou pelo tipo de serviço? Na primeira hipótese, você pode estimar a quantidade de horas trabalhadas mensalmente e dividir por esses R$ 2000. Já na segunda, você deve pensar em quais serviços são mais requisitados e balancear de acordo com o que julgar que alcançará esse montante. 

Pense em quanto a concorrência cobra

No marketing é assim: para saber como atuar em um determinado mercado, a empresa precisa entender os seus concorrentes. No seu caso, para ter um preço competitivo, você deve conhecer os valores cobrados pela concorrência e adaptar o que foi feito no tópico anterior para o seu cenário!.

Nesse sentido, sempre pense em cobrar algo aceitável que não jogue o seu lucro muito pra baixo, nem muito pra cima em comparação aos outros profissionais. A vantagem é que agora, com todo o estudo que foi feito, fica mais fácil adaptar os valores sendo justo e lucrativo!

Entendeu como fazer um plano orçamental pode ser mais fácil do que se imagina? Então compartilhe nas redes sociais e ajude os seus amigos instaladores, autônomos, vendedores e outros a não se perderem ao orçar um serviço!

 Faça parte da maior comunidade de segurança eletrônica do Brasil!

Assine nossa Newsletter e receba conteúdos com as melhores dicas e notícias sobre o Mercado de Segurança Eletrônica.

Sobre o autor

Lazaro Vergani

1 comentário

  • Muito bom Lázaro você acabar dando umas dicas muito importante sobre vários assuntos que faz somar na vida de quem tem foco ,faz despertar ,o mais difícil é as vezes colocar em prática mais quando começa colocar em prática e só sucesso.parabens.obrigado

Deixar comentário.

/* ]]> */